[Como Se Desenha Uma Casa] PDF/EBOOK

  • Paperback
  • 56
  • Como Se Desenha Uma Casa
  • Manuel António Pina
  • Portuguese
  • 07 June 2019
  • null

Manuel António Pina Ò 0 Read & Download

Read & Download Como Se Desenha Uma Casa ´ PDF, DOC, TXT or eBook Manuel António Pina Ò 0 Read & Download review ´ PDF, DOC, TXT or eBook Ò Manuel António Pina Como se Desenha uma Casa é o último livro de poemas inéditos de Manuel António Pina galardoado com o Prémio Camões 2011A este livro foi atribuído já a título póstumo o Prémio de Poesia Teixeira de PascoaesExcertosO regresso«Co. Os livros ent o isto um livroeste como dizer murm rioeste rosto virado para dentro de alguma coisa escura ue ainda n o existeue se uma m o subitamente inocente a tocase abre desamparadamentecomo uma bocafalando com a nossa voz isto um livroesta esp cie de cora o o nosso cora odizendo eu entre n s e n s

Free read Como Se Desenha Uma Casa

Como Se Desenha Uma Casa

Read & Download Como Se Desenha Uma Casa ´ PDF, DOC, TXT or eBook Manuel António Pina Ò 0 Read & Download review ´ PDF, DOC, TXT or eBook Ò Manuel António Pina La primeira vez na sua casae deita se pela primeira vez na sua camaPara trás ficaram portos ilhas lembrançascidades estações do anoE come agora por fim um pão primeirosem o sabor de palavras estrangeiras na boca»Manuel António Pina. Uma linguagem depurada e simples ue nos deixa entrever os mist rios e as reflex es ue se escondem sob a aparente banalidade da vida uotidiana Um livro ue se l naturalmente como uem respira

review ´ PDF, DOC, TXT or eBook Ò Manuel António Pina

Read & Download Como Se Desenha Uma Casa ´ PDF, DOC, TXT or eBook Manuel António Pina Ò 0 Read & Download review ´ PDF, DOC, TXT or eBook Ò Manuel António Pina Mo uem vindo de países distantes fora desi chega finalmente aonde sempre estevee encontra tudo no seu lugaro passado no passado o presente no presenteassim chega o viajante à tardia idadeem ue se confundem ele e o caminhoEntra então pe. Os GatosH um deus nico e secretoem cada gato inconcretogovernando um mundo ef meroonde estamos de passagemUm deus ue nos hospedanos seus vastos aposentosde nervos aus ncias pressentimentose de longe nos observaSomos intrusos b rbaros amig veise compassivo o deuspermite ue o sirvamose a ilus o de ue o tocamos